Llámanos al 956 261 604
o
¿Prefieres que te llamemos gratis?
Indique-nos os seus dados pessoais e assim que possível um profissional irá entrar em contacto consigo.
Enviar
mecânico a verificar o filtro de partículas
mecânico a verificar o filtro de partículas

Filtro de partículas: a peça que o protege a si e ao planeta

O filtro de partículas é uma pequena peça imprescindível, que permite que todos os gases nocivos libertados pelos motores dos automóveis de combustão sejam retidos e eliminados. Quando em boas condições, este filtro consegue eliminar cerca de 80% dos elementos tóxicos, impedindo a sua inalação pelo condutor e evitando também que sejam emitidos para a atmosfera.

É, por isso, uma peça fundamental para o ambiente… E para a sua saúde.

Como funciona o filtro de partículas?

Há quem lhe chame também DPF ou FAP (filtro anti-partículas). Ambos os termos referem-se a uma peça que está integrada no sistema de escape dos automóveis a diesel e a gasolina e que é responsável por reter e eliminar os gases do tipo COx.

De formato cilíndrico, o interior deste filtro assemelha-se aos favos de uma colmeia. Quando o motor trabalha, todos os gases libertados passam pelos pequenos orifícios e desníveis do filtro, que retém as partículas sólidas de fuligem (uma substância preta proveniente da decomposição de matérias dos combustíveis).

Ler mais: É seguro abastecer com combustíveis mais baratos?

O que acontece aos gases nocivos que são retidos?

É verdade que a retenção destes gases nocivos não é suficiente. É preciso eliminá-los. Por isso, o que se segue é a incineração destes resíduos, através de temperaturas que podem chegar aos 300°C.

Para tal, o automóvel em questão deverá ser, idealmente, conduzido durante alguns minutos a uma velocidade superior a 70 quilómetros/hora e acima das 2.500 rotações/minuto. Isto vai dar origem à chamada regeneração filtro de partículas.

A regeneração filtro de partículas pode ser feita de duas formas distintas:

Regeneração passiva

É um processo automático que acontece geralmente quando se conduz em autoestradas ou vias rápidas, a uma velocidade mais alta. Quando a temperatura atinge um determinado ponto, a fuligem é recolhida e incinerada automaticamente.

Por isso, se tiver um carro citadino que só utiliza para deslocações curtas e que só conduz a baixa velocidade, considere de vez em quando levá-lo para uma via rápida para “puxar por ele”. Isto vai fazer maravilhas ao sistema de escape e vai ajudá-lo a eliminar toda a fuligem e partículas que estão acumuladas no filtro.

Regeneração ativa

Nas situações em que isto não acontece (até porque grande parte dos condutores não conduz em autoestradas assim com tanta frequência), é feita uma regeneração passiva.

A regeneração passiva acontece sempre que o filtro atinge o limite da sua capacidade (cerca de 45%). Nessa altura, é feita uma injeção extra de combustível para aumentar o nível de combustão e subir a temperatura no escape, que vai queimar a fuligem e demais partículas indesejáveis.

Ler mais: A importância de manter o sistema de escape em boas condições

É obrigatório que todos os automóveis tenham um filtro de partículas?

Sim. As normas europeias determinam que todos os carros no mercado estejam equipados com um filtro de partículas. Esta obrigatoriedade foi imposta em 2009 para os carros a diesel e, em 2017, também para os veículos a gasolina.

Para além disso, também estamos a falar de uma componente que é sempre verificada nas inspeções periódicas obrigatórias e cuja ausência (ou qualquer irregularidade associada à sua utilização) pode levar à reprovação na inspeção.

Quando deve ser feita a manutenção desta peça?

A manutenção ou limpeza do filtro deve sempre ser feita a cada 100 mil quilómetros percorridos. Nos casos em que o automóvel percorre trajetos mais curtos e a velocidades mais baixas, verifique se a luz que alerta para problemas no motor se acende.

Também existem outros sinais aos quais deve estar atento, tais como:

  • Aumento do consumo de combustível (fruto das constantes regenerações);
  • Perda de potência do motor.

Perante estes sinais, não adie a questão e leve o seu automóvel a uma oficina de confiança que faça a devida manutenção ao filtro. Em última instância, se não tiver os cuidados necessários com esta peça, poderá ter de vir a substituí-la na íntegra (o que não sai barato!).

Ler mais: Manutenção automóvel: Como prolongar a vida útil do seu carro?

Será que o filtro de partículas do seu carro está em boas condições?

Se não se lembra da última vez que o filtro do seu carro foi limpo ou se reparou em alguns dos sintomas acima descritos, então poderá estar na hora de fazer a manutenção desta peça.

Assim, sugerimos que confie este trabalho a uma das mais de 100 oficinas autorizadas da Caetano Retail, através de um agendamento rápido e muito simples.

;

Outras Notícias

10 Dicas para praticar uma condução defensiva

Pneus de neve: por que motivo deve trocar já os seus pneus

A retoma de carros usados é uma boa opção?